Alimentação é a base da saúde

As escolhas que fazemos na  nossa alimentação são diretamente responsáveis pela nossa saúde, bem como pelas doenças que adquirimos. Atualmente, vivemos uma epidemia de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, e o tratamento dessas doenças requer o uso de medicamentos muitas vezes para o resto da vida. Contudo, modificações nos hábitos alimentares podem melhorar essas e muitas outras doenças, diminuindo a necessidade de medicamentos e seus efeitos colaterais. Como normalmente é o que mais comemos que nós deixa doentes, fica claro que tirar esses alimentos prejudiciais da dieta deva ser o primeiro tratamento das doenças. Para quem ainda não está doente, valem as mesmas recomendações como prevenção e melhora da qualidade de vida.

Então, quais são esses alimentos que devem ser evitados no consumo diário?

1- Alimentos derivados do trigo – pão, macarrão, biscoito, torrada, bolo, etc. Os pães e biscoitos integrais, apesar de serem um pouco melhor por possuirem mais fibras, também devem ser evitados sempre que possível.
Tenho observado que pacientes que conseguem eliminar o trigo da dieta perdem, pelo menos, 3kg no primeiro mês. Isso serve de incentivo para os mais gordinhos! Para melhores resultados, deve retirar também, arroz branco e a batata inglesa. Eliminar os carboidratos simples da dieta pode melhorar o intestino, curar dores de cabeça e candidíase, emagrecer, prevenir e controlar o diabetes, reduzir o cansaço e sonolência, diminuir as dores do corpo em geral, reduzir TPM e muitos outros benefícios. Parece até milagroso, não? Experimente!

2- Produtos industrializados –  a maioria dos produtos industrializados (isso inclui produtos light, adoçante, refrigerante, suco de caixinha, suco em pó, enlatado, tempero pronto, iogurte) possuem conservantes e corantes que fazem mal e podem desencadear alergias.  Retirar esses produtos do consumo diário pode melhorar asma, bronquite, coceira na pele, sinusite, dor de cabeça, acne e outros. Tais “alimentos” possuem uma quantidade muito maior de sódio e muito menor de potássio  comparados aos produtos naturais. Essa proporção vai sobrecarregar o rim e pode contribuir para a hipertensão e inchaços no corpo.

Há muito mais sobre alimentos para ser dito. Contudo, essas duas orientações simplesmente fazem uma reviravolta na nossa vida  e, se nesse momento você me perguntar: “o que que eu vou comer, doutora?”, é mesmo sinal de que você precisa fazer uma mudança nos seus hábitos alimentares se quiser ter qualidade de vida. Um envelhecimento saudável e sem doenças? Sim, é possível!

Hoje, o desafio é o que podemos então comer? A dica é, quanto mais natural melhor.

  • Açúcar demais nunca é bom. Aliás, não sei quem introduziu esse péssimo hábito de adoçar os alimentos! Então, se quer adoçar, adoce, use mel, açúcar mascavo ou cristal, esses são mais naturais.Vá diminuindo aos poucos até que seu paladar perca esse péssimo hábito e então você possa ter o prazer em sentir o real sabor dos alimentos.
  • Troque o sal de cozinha refinado pelo sal grosso. O sal grosso é o sal marinho, proveniente da evaporação da água do mar, rico em muitos minerais e não somente o cloreto de sódio. O sal grosso não causa hipertensão e dá um sabor especial aos alimentos. Você pode bater no liquidificador para ficar fininho.
  • Prefira a alimentação de antigamente. As raízes como mandioca, batata doce, inhame são preferíveis aqueles carboidratos do trigo. Podem ser utilizadas inclusive no café da manhã. Coma também ovos, seja criativo! Omeletes com tomate, cebola, orégano, ervas finas, queijos. Frutas, inclusive abacate, são saudáveis.
  • Tenha sempre à mão nuts para as horas entre as refeições. Nuts são Castanhas, nozes, macadâmia, amêndoas, amendoins. Algumas frutas secas para adocicar a vida, damascos ou uvas passas, mas com moderação.
  • Todos os óleos vegetais ( soja, girassol, oliva, canola… ) não devem ir ao fogo. O óleo de coco é a exceção. Fritar nunca é bom! Mas, se não dá pra resistir, fritar com gordura animal é melhor que com óleo vegetal.
  • Coma proteínas: carnes, frangos, ovos, peixes.
  • Coma vegetais. Quanto mais colorido o prato, melhor! Saladas, couve, agrião, acelga, espinafre, cenoura, beterraba, brócolis, couve-flor, berinjela, chuchu, abobrinha, abóbora, cebola, alho, tomate e muito mais.
  • Beba água!  Vai ajudar a “lavar” o corpo. Não existe recuperação da saúde sem que a prioridade não seja beber água. O ideal é que o consumo de qualquer líquido seja a temperatura ambiente à morna, ou seja, nada de água gelada.

Se você percebeu que faz tudo diferente, já tem uma chance de consertar esses hábitos e verificar a melhora dos seus sintomas sem a necessidade de medicamentos. Acredite, será muito mais saudável.

4 comentários sobre “Alimentação é a base da saúde

  1. Amei a dica, ou seja, a dieta indicada, não terei que mudar muita coisa, então não vai ser tão difícil mudar meus hábitos alimentares. Obrigada Dra. Suellen Araujo

    • Tudo pode com moderação. Até bolo chocolate com recheio de brigadeiro Hehe. Mas a compulsão por carboidratos é um vício e pode ser mais fácil se livrar dele com a ajudinha das terapias ortomoleculares. Injeções de cromo e 5htp são ótimos recursos disponíveis nessa transição de hábito alimentar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s